08 janeiro 2015

Resenha do Livro: Chaves - a História Oficial Ilustrada

Meus amores, é  muito difícil encontrar alguém, que não tenha uma profunda admiração pela carreira do ator, escritor e diretor: Roberto Gómez Bolaños. Afinal, os personagens Chaves e Chapolin Colorado, marcaram a nossa infância e estão presentes nas nossas vidas até hoje. Por isso, é com imensa alegria que eu trago a resenha desse livro incrível para vocês.

Sinopse: Roberto Gómez Bolaños, o grande humorista que deu vida a Chaves e Chapolin Colorado, dois dos maiores sucessos da televisão, ganha uma homenagem em Chaves – a história oficial. Criador e intérprete desses heróis que levaram o riso a milhares de pessoas ao longo de quatro gerações, Chaves é a celebração da trajetória de um artista exemplar. O leitor está diante de uma biografia que resume alguns dos episódios mais marcantes da vida e dos quase sessenta anos de carreira do escritor, roteirista, ator, diretor, dramaturgo, comediante e compositor mexicano. Um fenômeno que, acompanhado por um espetacular grupo de comediantes, superou a popularidade de outros grandes nomes da comédia, como Charles Chaplin.

O Livro
Em Chaves - a História Oficial Ilustrada, o leitor encontra a biografia completa de Roberto Gómez Bolanos. Desde o dia que a sua  mãe descobre que está grávida, até o dia em que ele decide se aposentar. O livro contém ainda, fotos do acervo pessoal do artista, que mostram sua trajetória antes e depois da fama, incluindo muitas fotos com o elenco de Chaves. Além disso, podemos conhecer melhor o processo de criação de cada personagem e o perfil de cada um deles.  É um livro repleto de detalhes e curiosidades sobre a vida e obra desse grande artista. É leve, muito bem escrito, o tipo de livro que nós começamos a ler e não conseguimos mais parar, enquanto não chegamos até a última página. Um trabalho feito com muito carinho e respeito, com a intenção de agradar todos os fans de Chespirito. É um livro maravilhoso e que todos deveriam ler!

A História
No início do livro, eu  fui surpreendida com um fato que me marcou muito, Roberto Bolaños por pouco não nasceu. Sua mãe tomou um medicamento para combater uma gripe, que causava graves efeitos colaterais se fosse ingerido por uma mulher grávida. Porém, ao ingerir esse medicamento Elsa Bolaños nem desconfiava que estava grávida de  seu segundo filho, fato que só foi descobrir quando ficou entre a vida e a morte. Mas Graças a Deus, um verdadeiro milagre evitou que Elsa sofresse um aborto, o que impediria o mundo de conhecer anos mais tarde, o homem que encantaria gerações e nos faria dar tantas risadas.
Roberto Bolaños soube aproveitar muito bem a vida que Deus lhe deu. Assim como seu personagem Chaves, ele também não tinha os brinquedos mais caros e nem morava na casa mais bonita do bairro. Mesmo assim, ele foi uma criança feliz, brincou bastante, encontrou no futebol a sua primeira paixão e aprendeu desde cedo a se defender sozinho e não fugia de nenhum briga de rua. Encontrou no boxe sua segunda paixão e se tornou um atleta premiado.  Mas foi na escrita que Roberto encontrou o seu amor verdadeiro, vocação que o acompanhou durante toda a sua vida e que através dela, encontrou uma forma de agradecer a Deus pelo milagre do seu nascimento.
Roberto escrevia tão bem, que recebeu um apelido que o acompanhou durante toda a sua carreira: Chespirito - A forma diminutiva e castelhanizada do vocábulo inglês Shakespeare (Chekspir). Tal apelido foi dado a Bolaños pelo diretor de cinema Agustín P. Delgado, que o considerava um pequeno William Shakespeare. Mas seu talento era tão grande, que não demorou muito, pra ele descobrir que também levava jeito para atuação e foi assim que para nossa sorte, além de escrever roteiros, ele começou a interpretar alguns dos seus personagens. Ao longo da sua carreira, Roberto trabalhou em diversas áreas do entretenimento. Foi escritor, ator, comediante, dramaturgo, compositor e diretor. Acumulando sucessos na TV, cinema, teatro e literatura. Um verdadeiro gênio!
Durante a leitura, eu percebi que Chespirito emprestou para seus personagens mais famosos, muitos traços da sua personalidade. Quando menino, ele sempre se metia em brigas e vivia dando socos por aí, assim como seu personagem Chaves. Além disso, ele também adorava um sanduíche de presunto. Chapolin Colorado herdou de seu criador o lado mulherengo e conquistador, além das dificuldades em enfrentar os seus medos. 
Aliás, o lado conquistador de Chespirito merece um destaque especial nessa resenha, já que o artista namorou muitas mulheres no decorrer  da sua vida e era considerado um romântico incurável. Foi justamente esse lado romântico e galanteador, que fez com que Roberto conquistasse o amor da mulher, com quem ele viveria até o seu último dia de vida, Florinda Meza. Não há dúvidas, de que os dois eram verdadeiras almas gêmeas, conhecer os detalhes dessa linda história de amor, foi a parte que eu mais gostei nesse livro. O amor que existia entre os dois era muito bonito e admirável. Eu gostaria muito que fizessem um filme contando essa linda história. 

Conclusão 
Eu sempre acreditei, que todas as pessoas estão nesse mundo por algum propósito maior, que Deus confiou para cada um de nós uma missão aqui na Terra e que no decorrer das nossas vidas, ele dará um jeito de mostrar para cada um de nós, qual é esse caminho. A missão de Roberto Bolaños era a mais linda de todas: fazer as pessoas felizes e ele cumpriu essa missão da forma mais linda que alguém poderia fazer. Ele me ensinou, que precisamos trabalhar muito para conquistar os nossos sonhos, pois não adianta ter talento se não tiver dedicação e esforço e que nunca é tarde pra começar a correr atrás dos nossos sonhos, o importante é não desistir nunca. 
Se antes, eu me considerava fan dos seus personagens, hoje eu posso dizer, que eu me tornei fan do artista, do metre e do homem, Roberto Gómez Bolaños.  Ele se tornou uma verdadeira inspiração para a minha vida e possui uma trajetória linda, que merece ser conhecida e compartilhada. Em certa ocasião, Chespirito disse, que gostaria de ser lembrado sobretudo, como um  homem bom. O que eu posso dizer hoje, é que você conseguiu conquistar isso, eu sempre vou me lembrar de você como um homem bom, um homem muito bom! Muito obrigada por ter feito parte da minha vida!

Então meus amores, o que vocês pensam sobre esse livro?

Mil Beijos!

2 comentários:

  1. Oi, tudo bom? Quando vi a miniatura do livro que você resenhou vim praticamente correndo! Eu sou uma grande admiradora da cultura mexicana e o Bolaños tem um lugar especial no meu coração <3 Concordo com todas as coisas que escreveu. Ele era um grande gênio e tinha um coração muito bom também. Prova disso são as obras sociais que ajudam crianças no México fundadas por ele. Obrigada por trazer um pouquinho do Roberto para o meu dia ^^'

    Bjs!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigada pelo seu comentário!
    Mil Beijos!

    ResponderExcluir

Página Anterior Próxima Página Home
Layout criado por