15 abril 2010

Nós amamos chocolate


Saiba porque gostamos tanto de chocolate, quais os seus benefícios e propriedades.

Quem viu o filme Charlie and the Chocolate Fabric nunca mais se esquecerá dos umpa-lumpas, os pequenos seres devotos ao chocolate que Wily Wonka encontrou na floresta. Levou-os para a sua fábrica e passaram a ser a mão de obra (e também coro e dançarinos) sempre vestidos de uma só cor, todos iguais no meio de toda aquela fantasia, barcos de chocolate e árvores de rebuçados. Esse filme adorável ilustra bem como o chocolate pode ser venerado. No mundo real e desde há muito tempo, é um alimento que transcende as qualidades de nutrição e fonte de energia. É também um psicoactivo que trabalha a nível de emoções e bem-estar, e é por isso que cria um certo hábito... E por vezes uma verdadeira dependência!

De todas as suas propriedades, vamos começar por explicar quais aquelas que nos sobem à cabeça sem termos grande consciência disso O chocolate contém uma substância chamada teobromina, um alcalóide da família das metil-xantinas, da qual fazem parte a teofilina e a cafeína. Dizem que é ela a causadora do doce vício do chocolate, mas talvez seja um conjunto de outras substâncias que nos faz chegar esse ponto. A feniletilamina também está presente no chocolate, e é essa a substância do amor, também responsável pelo estímulo dos neurotransmissores, que criam a sensação de bem-estar. Por isso o chocolate é considerado um afrodisíaco poderoso (há algo mais romântico do que oferecer flores e chocolates?). Só de pensar em bombons o nosso hipotálamo começa a acordar a seratonina, e esta por sua vez vai dar-nos prazer... ou o desejo dele. Apesar de ser da mesma família da cafeína, a teobromina tem menos impacto no sistema nervoso central e estimula menos o coração, mesmo assim é preciso ter cuidado porque pode causar insónias, tremores, ansiedade e transformar-se num diurético. Esta substância foi descoberta no século XIX e aconselhada para tratamentos de edema (liquido excessivo), ataques de angina sifilítica e degenerativa. Na medicina moderna, é usada como vasodilatador e estimulante do coração. Um estudo britânico concluiu que a teobromina reduz a tosse, com um efeito superior à codeína, e que é benéfica em casos de asma porque relaxa os músculos. E ao contrário do que se possa pensar, uma pequena dose de chocolate preto numa dieta de emagrecimento pode ser a motivação para ela ser cumprida. O chocolate contém ainda nutrientes essenciais para energia (que se vão abaixo nestas alturas) e além disso cria bom humor, essencial para uma dieta. Mas os benefícios são só para os humanos, cuidado com os animais, para eles chocolate é veneno. Quando dizemos que um cão não pode comer chocolate é por causa da teobramina, metabolizada muito lentamente pelos animais, o que pode causar vários sintomas (desidratação, problemas digestivos, ritmo cardíaco lento, ataques epilépticos) e até a morte.
O nosso corpo agradece

O chocolate é um alimento muito nutritivo. possui vitaminas E, B1, B2, B3, B6, B12 e C, e os minerais potássio, fósforo, sódio, ferro, tanino, zinco e principalmente magnésio. Contém também flavonóides, que ajudam a combater a oxidação e reduzem os riscos de doenças cardiovasculares. E tem um tipo especial de gordura, o ácido oléico, o mesmo do azeite, gordura benéfica que protege as artérias, elevam o bom colesterol (HDL) e diminuem o mau colesterol (LDL). Claro que tudo isto se passa quando falamos de quantidades moderadas, quando consumido em grande quantidade o chocolate depressa se transforma em gordura prejudicial à saúde. Por isso é preciso ter cuidado para as propriedades do chocolate não se tornarem inimigas. E isso começa na escolha do chocolate, quanto melhor a qualidade, menor as misturas de gorduras prejudiciais.

Os benefícios do chocolate têm sido tema recorrente em circuitos científicos. Recentemente, a marca de chocolates Mars criou mesmo uma divisão de estudos científicos chamada Symbioscience, e publicaram em Maio um estudo que prova que beber chocolate quente melhora a circulação sanguínia nas pessoas com diabetes tipo II. Isto está relacionado também com o aumento de produção de endorfinas: quando se tem um sistema vascular enfraquecido as substâncias que nos fazem sentir bem vão estimulá-lo. Conclusão: o prazer dá saúde. E quando vem sobre a forma de chocolate, com aquela textura tão especial e aquele sabor maravilhoso, espalha-se por todo o nosso organismo, a começar pela mente, que manda no resto.

Mil Beijos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Página Anterior Próxima Página Home
Layout criado por